26 julho 2012

Weather vane, Girouette


Cata-ventos
Cata-ventos
No caminho solitário
Na chuva
De um verão que nada pode aquecer
Abraçando o crepúsculo
Caminharemos
E esqueceremos
Os espinhos

2 comentários:

  1. Tiago Quingosta, você é definitivamente um gênio!
    Com dois cliques e oito letras me fez me lembrar da minha vida inteira. Só quem tem coração para entender realmente estes versos!

    Lindo, simples e com alma.
    au revoir, mon chèri z3'

    ResponderExcluir
  2. Catei o vento, mas, a brisa o levou.


    ;*~

    ResponderExcluir